Acelera Startups

Cashback: o futuro do consumo no mercado brasileiro

Acelera Startups

O perfil do consumidor está mudando consideravelmente e isso se acentua com a crise econômica que atingiu o Brasil. Dentre as mudanças, a fidelidade a uma marca foi um dos pontos mais afetados. Segundo pesquisa realizada pela consultoria McKinsey & Co, um terço dos consumidores brasileiros não abandonou suas marcas preferidas, mas está em busca constante por formas de encontrá-las por preços menores – 19% está comprando em menor quantidade e 14% está esperando uma liquidação.

Neste contexto, o cashback – devolução, em dinheiro, de parte do valor gasto na compra – surge como uma alternativa, pois agrada a todos: entrega os resultados esperados pelas marcas e amplia o benefício oferecido ao consumidor. A proposta é simples: as lojas pagam para anunciar nos sites e toda vez que o cliente faz uma compra através deles, a empresa de cashback devolve ao usuário, em dinheiro, parte desse valor.

Cada vez mais estratégico, o mercado de cashback tem crescido no mundo inteiro – em 2014, a empresa japonesa Rakuten adquiriu a empresa de cashback americana Ebates por US$1 bilhão. Independentemente de crise, o consumidor está em busca de melhores condições de compra e de formas de ser recompensado por sua importância para o mercado.

Programas de recompensa que antes eram usados, em sua maioria, para atender a desejos extras dos consumidores, hoje se tornaram uma forma de complementar o orçamento.

Os programas baseados em pontos ou milhas podem ser pouco tangíveis, além de limitar o consumidor, uma vez que a troca só pode ser realizada em determinadas lojas ou produtos/serviços. Quando se devolve dinheiro, o risco de frustração praticamente não existe, uma vez que o cliente pode utilizá-lo onde e como quiser.

Seguindo esta tendência, em setembro de 2016, o Méliuz – empresa líder no segmento de cashback no Brasil – ampliou sua atuação também para o ambiente offline. Pela primeira vez no Brasil, clientes podem receber de volta parte do valor gasto em bares, supermercados e na compra de imóveis.

O modelo de negócio continua o mesmo, mas no varejo físico, a indústria participa mais ativamente, pois o volume de vendas de muitos produtos é maior. O cashback é vantajoso para os clientes, que recebem de volta uma parte do valor gasto, e para as lojas e marcas, que passam a ter no Méliuz mais uma ferramenta de fidelização.

Com a vantagem de não expirar e dar liberdade para o consumidor usar como bem entender, o cashback já é uma realidade e possui um futuro promissor muito próximo.

Claudio Brito

Claudio Brito é especializado em Marketing Digital pela Fecap-SP e em Dinâmica de Grupo pela SBDG, tem 19 anos de experiência e participou de treinamentos internacionais com mestres como Alexander Osterwalder, Steve Blank e Eric Ries. Foi selecionado pela Endeavor para o curso “Building a High Growth Business” em Babson, faculdade No. 1 em empreendedorismo nos EUA. No Brasil, participa ativamente do desenvolvimento do mercado inclusive organizando missões empresarias para o Vale do Silício onde apresenta empresas como Google, Apple e Evernotes. É facilitador do Empretec, palestrante e mentor de startups. Como empresário, mantém a Acelera Startups uma comunidade digital que já atingiu 20.000 empreendedores em 47 países.

Acelera Startups

Email Newsletter

Inscreva-se para receber notícias, novidades e ideias no seu email.

Redes Sociais

Acesse nossas Redes Sociais para saber mais novidades da Acelera Startups.

Siga-nos

Não seja tímido para entrar em contato. Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.

Negócio de Suce$$o

eBook Negócio de Suce$$o

Tem ideia de um negócio promissor mas não sabe por onde começar? Com esse ebook sua ideia vai decolar!

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.