Acelera Startups
Vale do Silício

Vale do Silício

Acelera Startups

O Vale é um destino de peregrinação para milhares de empreendedores no mundo. A região possui uma aura mística que fascina qualquer um. A região é tão importante que muitos “vales” já nasceram pelo mundo tentando copiar o ecossistema que existe na Califórnia.

O fascínio pelo Vale deu origem ao projeto “Acelera Startups in Silicon Valley”. Nem todos têm condições ir até lá, então decidimos trazer o Vale até você. Com esse projeto, nós queremos incentivar os empreendedores brasileiros à desbravarem o Vale, buscando respirar a atmosfera, entender a dinâmica da região, fazer networking, conseguir parceiros e até investimento para seu negócio.

Durante a nossa estadia nesse ambiente inovador, conversamos com diversos empreendedores, brasileiros e estrangeiros, sobre esse ecossistema fantástico para tentar entender, sob a ótica de quem vive o dia-a-dia do Vale, o que faz a região ser tão diferenciada. Neste artigo, abordamos temas relevantes e cruciais como transporte, alimentação, viagem, hospedagem, eventos, networking, roteiros, e diversas dicas práticas para o dia-a-dia. Confira abaixo o trailer do Vale do Silício filme:

E se tiver interesse, assista o filme completo que acompanha o eBook Você no Vale do Silício, disponível ao final do artigo.

O que é o Vale do Silício?

O Vale do Silício (em inglês: Silicon Valley), na Califórnia, Estados Unidos, é uma região na qual está situado um conjunto de empresas inovadoras, abrangendo várias cidades do estado da Califórnia, no sul da baía de São Francisco, como Palo Alto e Santa Clara, estendendo-se até os subúrbios de São José.

A industrialização dessa região teve início em 1890, mas o impulso para o desenvolvimento se deu com a Segunda Guerra Mundial e principalmente durante a Guerra Fria, devido à corrida armamentista e aeroespacial. Foram as indústrias eletrônicas do Vale do Silício que forneceram transistores para mísseis e circuitos integrados para os computadores que guiaram as naves Apollo.

Muitas empresas que hoje estão entre as maiores do mundo nasceram e estão presentes nesta região: Apple Inc., Google, Facebook, NVIDIA Corporation, Electronic Arts, Symantec, Advanced Micro Devices (AMD), eBay, Maxtor, Yahoo!, Hewlett-Packard (HP), Intel, Foursys, entre muitas outras.

Um pouco da minha história com o Vale

Mapa com sugestões de destinos, pontos de interesse e endereços das faculdades, universidades e empresas no Vale do Silício

Ainda que muitos locais no mundo tentem imitar ou criar um novo “Vale”, como Israel, Inglaterra e até mesmo outras cidades dos Estados Unidos, como Boston e Los Angeles, fato é que o Silicon Valley possui uma fórmula única, intrínseca e enraizada na região desde a sua concepção.

Como pólo inovador o Vale é um local místico, onde centenas de empreendedores de diversas etnias e países decidiram fazer morada, e outros tantos peregrinam até lá de tempos em tempos, é resultado de um perfeito alinhamento entre a iniciativa pública e privada. E não apenas isso. Desde sua origem, todo empreendedor ou empreendimento carrega consigo o sentimento de gratidão e o dever de promover a reciprocidade. Eis uma história que ilustra muito bem essa mentalidade.

No início dos anos 90, John Chambers, o CEO da Cisco costumava se encontrar com Lew Platt, o então CEO da Hewllett-Packard, para conversar sobre gestão e estratégia. Em um determinado momento Chambers pergunta à Platt porque ele investia tanto do seu tempo para ajudá-lo, um jovem executivo de outra empresa. A isso, Platt respondeu “É assim que funciona no Vale. Estamos aqui para ajudá-lo!”.

Google e o Googleplex

Google Plex
Embora este seja um grande desejo da maioria das pessoas. A sede do Google não oferece tours públicos para visitação da empresa, pois, embora o ambiente seja colorido e divertido, os funcionários ficam concentrados durante o horário de trabalho. Por isso, não seria justo atrapalhar o desenvolvimento de tanta coisa bacana com centenas de pessoas invadindo os escritórios, não é mesmo? Mas o Google sabe que as pessoas têm curiosidade e querem se aproximar da empresa e, por isso, disponibilizou uma loja onde é possível comprar várias lembranças com o logo da empresa e seus produtos (porém o acesso a ela só é feita através de um convite impresso pelo funcionário responsável pela sua estadia – com sorte talvez você consiga algum jogado no lixo do lado de fora da loja ou alguém disposto a compartilhar esse pequeno pedaço de papel). Talvez a empresa também lance alguma novidade com a sua nova sede que você pode ver mais detalhes clicando aqui.

Apple Store (loja mãe)

Apple Store 1
Já a Apple possui uma loja em sua sede onde a entrada é aberta e é possível encontrar lembranças como camisas, copos, roupas para bebês com a marca da empresa e alguns acessórios para o seu gadget preferido, porém essa loja não oferece os principais produtos como iPhones, iPads, iPods e Macs pois trata-se de uma loja “turística”. O endereço está no mapa acima e deve mudar assim que a empresa lançar a sua nova sede em forma de círculo futurístico que você pode conhecer no vídeo abaixo e saber mais clicando aqui.

Facebook

Outro não muito receptivo aos turistas é o Facebook que está hoje instalado em um prédio sisudo e sem muito link com o espírito da empresa, mas a empresa cresceu tanto que será obrigada a se mudar e já está preparando um belo tapa no visual, veja no vídeo abaixo ou confira mais detalhes aqui.

Como o vale adicionou o Silício ao nome?

O termo “Vale do Silício” foi utilizado pela primeira vez pelo jornalista Don Hoefler, em 1971, em uma série de artigos denominado “Silicon Valley U.S.A” escrito para o Electronic News.

Esse termo referia-se à uma certa região localizada na baía de São Francisco, que naquela época já era o lar de nomes promissores na indústria como a AMD e a INTEL, que utilizam o silício como principal elemento na composição dos chips fabricados.

Um dos grandes fatores de sucesso do Vale se encontra justamente em sua origem. O Vale tinha tudo para ser apenas mais uma região simples e rural dos Estados Unidos, sem muita ambição. Não havia incentivos por parte do Estado, a região não tinha histórico econômico industrial, não havia mão-de-obra especializada, nem tecnologia.

Entretanto, essas incertezas não foram suficientes para fazer desanimar um pequeno grupo de engenheiros, que decidiram apostar tudo. E este “apego” ao incerto, ao risco e o desenvolvimento de uma certa resiliência que esses homens carregavam consigo reflete em cada negócio e em cada empreendedor que faz parte do Silicon Valley. Até hoje.

Turismo

Muitos empreendedores, curiosos e entusiastas saem do Brasil todos os anos para visitar essa região dos Estados Unidos. Se você tem alguma dúvida de que vale conhecer essa área da Califórnia, veja aqui alguns motivos que selecionamos para você:

#1 As Universidades
Entre as entidades que mais influenciam um ecossistema empreendedor, junto com o poder público, estão as universidades. E no Silicon Valley a história não é diferente. São diversas universidades, faculdades, centros de estudo e pesquisa que revelam anualmente projetos que podem se tornar startups bilionárias em poucos anos. Entre as principais está Stanford, berço de startups como Instagram, Facebook e Snapchat.

#2 Ideias não valem nada
O que vale mesmo é a execução, que vem para premiar os mais resilientes e corajosos a ponto de tirarem as ideias da cabeça e do papel para colocaram em prática. Todos nós temos ideias o tempo todo. No papel e na imaginação tudo é possível, mas é só colocando em prática no mercado que você poderá efetivamente testar a viabilidade do negócio.

#3 Mente aberta
A cabeça aberta das pessoas é um ponto chave para o sucesso do ecossistema do Silicon Valley. Empreendedores altamente disruptivos como Elon Musk poderiam ser ignorados em ambientes menos propensos a inovação. Conhecer um ambiente carregado desta mentalidade com certeza muda a forma de pensar: evitar o julgamento é pré-requisito para quem se estabelece na região.

#4 Compartilhe suas ideias
No Silicon Valley isso é muito forte. Ou seja, todos compartilham seus planos e ideias com todos o tempo todo. Afinal de contas você nunca sabe quando vai encontrar aquele co-founder que faltava para seu negócio, ou mesmo um investidor-anjo.

#5 Network
Por lá o network é coisa séria! Pode ser relativamente fácil ter uma reunião com alguém importante, como um investidor, mas isso não significa que você vai conseguir. Pessoas importantes por lá só recebem novos contatos pessoalmente se estes vierem através de uma indicação de confiança para ele.

#6 Competitividade
Um erro muito comum dos empreendedores é achar que vão chegar lá e tudo vai acontecer. Não é bem assim que as coisas funcionam. Receita para sobreviver? Foco em resolver problemas grandes o suficiente da forma mais simples possível. Um de cada vez, e em mercados específicos.

#7 Erro é bem-vindo
Como todo ecossistema de inovação desenvolvido o fracasso faz parte do dia-a-dia do Silicon Valley. Enquanto a maior parte das culturas considera o erro vergonhoso, por lá ele é parte natural do processo já que o pressuposto para a inovação é o teste. Se nunca errou é porque não tentou algo novo.

Dicas para economizar

Algumas dicas para encontrar as tarifas mais baixas e ajudar você a economizar:

Compensa planejar antecipadamente. Quanto mais próxima estiver a data da viagem, mais você vai pagar pelo bilhete. Por quê? Porque há algum tempo as companhias aéreas perceberam que as pessoas viajando a negócios tendem a agendar reuniões em cima da hora e têm a menor das flexibilidades. Por isso, enquanto as companhias penalizam os viajantes a negócios, um turista bem organizado pode obter vantagens. Comece a pensar em sua viagem com três meses de antecedência e crie alertas que informam quando os preços caem. O período ideal para comprar as passagens é de 54 a 62 dias antes da data planejada.

Segunda, sexta ou fim de semana? A flexibilidade para viajar em outro dia pode resultar em tarifas drasticamente mais baixas. Sites como o Kayak ajudam a pesquisar os preços e ainda oferecem alerta de preço para você saber quando a sua passagem cair de preço.

Tudo na vida é uma questão de timing. O segredo para obter a tarifa mais baixa é viajar quando os outros não o fazem. Os períodos de “calmaria” irão variar por rota (de manhã cedo e noite adentro são boas opções para rotas de lazer, à tarde é melhor para rotas de negócio).

Evite as altas temporadas. Está notando um padrão? Não viaje quando os outros o fazem. Vá à Califórnia depois da Ação de Graças e antes do Natal. Você não só terá voos mais baratos como também filas mais curtas. Ou voe no dia de Natal, quando todos já estão em seus destinos (e as aeromoças são particularmente simpáticas).

Para economizar durante a viagem, procure por hospedagens mais baratas, diminua o período de estadia e se alimente em lugares menos requintados. Utilizar ônibus e metrô ao invés de Uber e ficar hospedado próximo dos locais que quer conhecer também ajudará na economia.

Calcular o quanto pretende gastar por dia e priorizar o turismo e não as compras é uma ótima maneira de viajar e voltar com as contas em dias. Outra dica é dividir por dias o dinheiro disponível para ser gasto durante a viagem. Assim você não corre o risco de chegar ao fim da estadia sem reserva. Lembre-se que usar o cartão de crédito em período de alta de dólar não é uma boa opção.

Se o mais importante não for a cidade e sim a experiência, consulte cidades próximas aos centros mais movimentados como Santa Clara e você terá tarifas de hospedagem bem menores do que
ficar em cidades mais badaladas como San Francisco ou San Jose, porém, esteja bem informado quanto aos horários dos seus compromissos pois se a viagem for rápida e a negócios talvez seja melhor ficar próximo dos locais onde você vai precisar frequentar.


Cultura e modo de vida

A maior parte da população é formada por imigrantes de outros países: México, Índia, China, Vietnam, Filipinas, etc. Viver no vale é um exercício de diversidade e tolerância, com gente do mundo inteiro. Essa experiência é visível na variedade de restaurantes, arquitetura, vestuário, etc.

Materialmente falando, a vida no Vale é mais confortável que em outros lugares. Há mais espaços abertos e públicos e é mais seguro também. Claro que a violência existe, porém, não com tanto alarde quanto em uma capital brasileira, por exemplo. Lembro que em uma das minhas viagens em 2012, fiquei inseguro pois iria ficar em San Francisco em uma região conhecida como “tenderloin” ou contrafilé no português, reconhecidamente perigosa pelos moradores e ao pesquisar em um site que mede a criminalidade na Califórnia percebi que mais de 90% das ocorrências relatadas pelos moradores daquela região estavam ligadas a som alto e brigas de casal, resolvi continuar por lá e não me arrependi pois a única coisa que vi foram mendigos atraídos pelas instituições de caridade que os alimentam e hospedam durante a noite (algo relatado pelo filme de 2006 “Em busca da felicidade” com Will Smith).

Sobre a comunidade brasileira presente na região, não sabemos seu tamanho exato, por que ela inclui imigrantes sem documentação e imigrantes transitórios que vão para ficar por tempo limitado. Mas existe uma comunidade emergente de brasileiros ligados a Universidade de Stanford e a tecnologia do Silicon Valley bastante numerosa.

Nas relações de trabalho, a cultura é “anti-mainstream” e casual. Não se usa gravata. Não é incomum encontrar gente de chinelo de dedo no escritório. Algumas empresas, como a Zynga, por exemplo, permitem até que você leve seu animal de estimação para o trabalho. Na Mozilla Foundation são usadas várias tecnologias para apoiar o trabalho de casa, mas em várias empresas como, por exemplo, o Google os benefícios para quem vai trabalhar na sede também são numerosos e incluem: refeitório, lavanderia, creche para filhos de funcionários e por aí vai.

Economia

O principal segmento econômico é, claro, o tecnológico. Boa parte dos profissionais trabalha diretamente com tecnologia, ocupando cargos de desenvolvedores de softwares e de hardware, engenheiros da computação, etc. Uma porcentagem menor trabalha em outras áreas, mas ainda assim, dentro de empresas de tecnologia.

Considerando apenas as empresas de capital aberto, são mais de 130 empresas, todas ligadas à área tecnológica, como Google, Apple, Facebook, Intel, IBM, e por aí vai.

Clima

Saber como é o clima e o tempo na Califórnia é importante para definir o período mais indicado para fazer sua viagem e também, levar a vestimenta mais adequada.

O clima no Vale é dos mais agradáveis dos Estados Unidos, por causa da localização do estado da Califórnia, que está próximo do México, em uma zona tropical.

A temperatura não apresenta muita variação durante o ano. O tempo costuma ser estável entre um mês e outro. A média de temperatura anual é de 23ºC, podendo chegar a 28ºC no verão e 6ºC no inverno. Apesar do clima agradável, o tempo é seco, por causa da umidade do ar na região, que é baixa e chove muito raramente.

Os meses mais quentes do ano por lá são de junho a setembro, quando o verão atinge o pico. De outubro a dezembro a temperatura cai, com os dias quentes a tarde e frios de noite e de manhã. Ainda em dezembro e pegando janeiro e fevereiro ocorre o período das chuvas fortes.

Entre os meses de março a junho temos o período com o clima mais agradável da região, com ventos e boa umidade.

Não se surpreenda ao se deparar com moradores sem camisa e pouca roupa lotando praças e locais públicas se o sol aparecer de repente e transformar um dia frio em um dia quente de verão, principalmente em San Francisco.

Veja como está o clima agora em São Francisco:


Transporte

San Francisco, uma das principais cidades do Vale, oferece várias opções de transporte. Como uma das cidades mais ecológicas do mundo, o uso das bicicletas e de lojas para alugá-las é muito comum. O transporte público também é um dos melhores, contando com boas opções como os ônibus, metrô (O famoso BART) e os icônicos bondinhos que percorrem os pontos de maior interesse turístico da cidade, cada um, claro, com preços diferenciados. Faça sua escolha.

Alugar um carro para quem vai ficar em San Francisco não é a melhor opção, pois as distâncias são curtas e mesmo os trajetos mais distantes como Salsalito passando pela Golden Gate podem ser feitos de bicicleta, mas se você não quer abrir mão da comodidade terá que enfrentar alguns engarrafamentos e estacionamentos caros.

Para quem vai ficar em alguma cidade mais distante como Santa Clara, Palo Alto ou San Jose e se movimentar bastante durante a viagem o carro é imprescindível, apesar do Trem funcionar muito bem e também ser uma opção a se pensar dependendo dos locais que você deseja ir e do que pretende fazer.

Universidades

Das 10 melhores universidades do mundo, oito estão nos Estados Unidos. Dessas, três ficam no estado da Califórnia. São elas: Instituto de Tecnologia da Califórnia, Universidade da Califórnia e Universidade de Stanford. Detalhe: localizada no Silicon Valley, a Universidade de Stanford é a quinta melhor instituição de ensino do mundo.

Das 20 universidades com maior número de prêmios Nobel do mundo, 13 são norte-americanas. Uma delas é, obviamente, a Universidade Stanford.

Curiosidades

O Silicon Valley fica às margens da falha de San Andreas, uma espécie de “rachadura” na crosta terrestre. Essa falha faz da região uma das mais vulneráveis a terremotos do mundo. Os habitantes da Califórnia sabem que cedo ou tarde ocorrera um grande abalo sísmico no estado, evento por muitos chamado de Big One.

A empresa mais valiosa do mundo em 2016 é a Apple Computer – fabricante do IPhone, IPad e IMac -, com sede na cidade de Cupertino. O seu valor de mercado é de US$ 247 bilhões.

A segunda empresa com maior valor de mercado – diga-se US$ 173 bilhões – em 2016 é o Google, que possui matriz em Mountain View.

São Francisco é a cidade mais famosa da baia de São Francisco, área onde fica o Silicon Valley. A sua população é de 80500 habitantes, o que faz dela a terceira maior da Califórnia.

Com mais de 37 milhões de habitantes, a Califórnia é o estado mais populoso dos Estados Unidos. Ele concentra mais de 10% da população do país.

Quatro das 20 maiores cidades dos Estados Unidos estão na Califórnia: Los Angeles, San Diego, São Francisco e San Jose. Duas estão na região da baia de São Francisco.

Blogs para acompanhar

Direto do Vale
Blog mantido por Marcio Saito que foi de São Paulo para a California para ajudar a estabelecer a Cyclades (a primeira empresa brasileira de tecnologia a se estabelecer no Vale) 20 anos atrás e acabou ficando. Hoje participa do ecossistema empreendedor como investidor, conselheiro, mentor, empreendedor.

Acontece no Vale
É um blog inspirado na cultura do Silicon Valley que tem como objetivo conectar estudantes e profissionais do Brasil com a Baía de San Francisco com dicas e informações sobre Educação, Empreendedorismo e Turismo.

Vale do Silício brasileiro

É um termo comumente aplicado à regiões no Brasil que se destacam pela inovação tecnológica, uma analogia ao Vale, localizado na Califórnia, nos Estados Unidos. A expressão é geralmente empregada para se referir aos parques tecnológicos do Porto Digital, no Recife, o Parque Tecnológico do Rio, no Rio de Janeiro, o Tecnopuc, em Porto Alegre, o Parque Tecnológico de São José dos Campos, o Sapiens Parque, em Florianópolis, o polo tecnológico de Campinas, que conta com empresas de alta tecnologia e universidade, como a Universidade Estadual de Campinas e a região de Belo Horizonte conhecida como San Pedro Valley que compreende as startups daquela região.

Vale do Silício

Title: Vale do Silício
Author:
Is Part Of:

Documentary,
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Claudio Brito

Claudio Brito é especializado em Marketing Digital pela Fecap-SP e em Dinâmica de Grupo pela SBDG, tem 19 anos de experiência e participou de treinamentos internacionais com mestres como Alexander Osterwalder, Steve Blank e Eric Ries. Foi selecionado pela Endeavor para o curso “Building a High Growth Business” em Babson, faculdade No. 1 em empreendedorismo nos EUA. No Brasil, participa ativamente do desenvolvimento do mercado inclusive organizando missões empresarias para o Vale do Silício onde apresenta empresas como Google, Apple e Evernotes. É facilitador do Empretec, palestrante e mentor de startups. Como empresário, mantém a Acelera Startups uma comunidade digital que já atingiu 20.000 empreendedores em 47 países.

Acelera Startups

Email Newsletter

Inscreva-se para receber notícias, novidades e ideias no seu email.

Redes Sociais

Acesse nossas Redes Sociais para saber mais novidades da Acelera Startups.

Siga-nos

Não seja tímido para entrar em contato. Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.

Negócio de Suce$$o

eBook Negócio de Suce$$o

Tem ideia de um negócio promissor mas não sabe por onde começar? Com esse ebook sua ideia vai decolar!

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.